Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

29.Out.20

UMA FIGURA POPULAR DA VILA

Júlio Cortez Fernandes

Na historia da vila de Pampilhosa da Serra,encontramos, muitos naturais pela sua actividade profissional, ou capacidade de intervenção social, passaram universo histórico e memória das gentes do burgo, em alguns casos do concelho.

Vou lembrar hoje pessoa, durante a décadas 1920 e 1930, seria personagem conhecida e estimada:

O Ti Zé da Fonte,nome próprio José Maria, nasceu na Pampilhosa a nove de Fevereiro de 1868.Teve como maioria dos patrícios infância difícil.Filho de mãe solteira, passou  ser conhecido pelo apelido,derivado da fonte do bairro da Aldeia Velha, perto da qual fica a casa onde cresceu.
Para singrar na vida, iria abraçar profissão  de pedreiro, caiador, passando a exercer o mister da construção civil em todas as vertentes.

Com a obrigatoriedade de caiar, e alindar as escuras casa de xisto da vila, tomada pela câmara municipal, no inicio dos anos trinta , do século  passado,  Ti Zé da Fonte, teve trabalho garantido durante dilatado tempo, sendo profissional cuidadoso e competente , passou gozar de geral simpatia.

Aos 70 anos ainda era preferido para  trabalhos da sua arte, precisamente, durante a actividade laboral ,fez pequeno golpe num dedo, devido a tétano provocou-lhe a morte no curto espaço de cinco dias,infausto acontecimento,ocorreu a 10 Outubro.

  O inesperado causou consternação geral, filho, José Maria da Fonte Júnior, funcionário dos correios em Lisboa, havia estado havia pouco tempo na Pampilhosa, em visita a seu pai, recebeu noticia de chofre tendo ficado muito abalado , mesmo assim voltou a terra para assistir as exéquias.

O funeral, causou admiração geral; povo ocorreu em grande numero, além da Filarmónica compareceram, filiados na Legião Portuguesa da Vila, devidamente uniformizados,porque Fonte Júnior era oficial daquela organização do Estado Novo, por isso, também  funcionalismo publico marcou presença no acontecimento.

  • Pelo aparato, a efeméride seria motivo das conversas durante algum tempo. Ti Zé da Fonte seria recordado , como bom vizinho, e trabalhador aplicado e competente, que até ao fim da vida exerceu  profissão a contento de todos.