Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

04.Fev.21

UM RETRATO DO PORTUGAL VAZIO

Júlio Cortez Fernandes

 

Voltamos brevemente outro censo da população residente, no território de Portugal, continental e regiões autónomas da Madeira e Açores.

Censo demográfico, é uma operação pela qual se pretende reunir conjunto de dados caracterizam os habitantes de um pais e das suas diferentes circunscrições administrativas, com fins estatísticos de recenseamento; ou seja determinar o numero de pessoas residentes numa dada região, discriminando o sexo,idade , naturalidade, estado civil,profissão,etc.

O  período tempo convencionado para esta tarefa,são dez anos.Os censos permitem conhecer o grau de povoamento de um dado território.

O concelho de Pampilhosa da Serra, considerado, município de montanha devido a maioria dos terrenos, serem  serranias de vales profundos, onde correm torrentes impetuosas durante o  inverno, arrastando o magro solo cultivável, e acentuando processo de erosão.

O recenseamento, é ocasião para de modo, sereno e construtivo,ficarmos a saber quantos somos e como vivemos.

A Pampilhosa da Serra, é concelho , onde desde 1940, se assiste a debandada da população, para outras paragens em busca de melhores condições de vida. Por via disso,  vai ficando cada vez menos povoado. Melhor dizendo vazio.

Percorrer o concelho,  parando em cada uma das aldeias, facilmente constatamos a evidente falta de gente.Não quero dissertar acerca das causas conduziram a esta situação.

Lembrei informação demográfica, coligida por técnicos da então Comissão de Coordenação da Região Centro,  publicada em Dezembro 1982, pelo Gabinete de Apoio Técnico de Arganil, entretanto extinto.

O quadro elucidativo, fica como curiosidade, e também para verificarmos, passados quarenta anos, diminuição da população, foi de igual monta, a verificada nos quarenta anos antecedentes. Será a população, actual cerca de 3500, habitantes, residentes?

Em breve saberemos, se suceder, é trágico, não vale pena argumentar  nas férias ou fins de semana, a população triplica, é difícil provar isso,  sazonalidade não define grau de povoamento.

Em 1950, segundo arrolamento geral de gado, no concelho de Pampilhosa da Serra,  numero de cabeças de gado caprino era 110.000. O Estado apropriou-se dos baldios; mato, e pastagem passaram ser vigiados por policia florestal, multas, para os donos de gado encontrado a pastar, no " domínio estatal ", vida cada vez mais difícil, só restava abalar, com magoa, infinita deixar a terra amada.

Como escrevi no meu livro PAMPILHOSA DA SERRA ; os que abalaram viveram sempre com pensamento na terra natal, e voltavam no Verão, até os laços familiares se foram quebrando. Oxalá efeitos da pandemia actual não contribuam ainda mais para quebrar o que resta, seria doloroso.

PC308339 (3).JPG