Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

08.Dez.20

ORIGEM DE EXPRESSÃO POPULAR

Júlio Cortez Fernandes

A revolução liberal de 1820,cujas comemorações do segundo centenário, também sofreram com esta pandemia; se algo fizeram foi pouco, quase nem demos por isso

Na vila de Pampilhosa da Serra, simplesmente Pampilhosa, como então era conhecida,  fim regime monárquico  absoluto, provocou algum frenesim, diga-se em abono da verdade . coisa de pouca monta, por esta banda, o povo e quem mandava eram todos partidários do Trono e do Altar; mesmo é dizer, adeptos da corrente Miguelista.

No entanto pessoa, de uma tradicional família da terra,assumiu-se  fervoroso partidário do novo regime. Pouco satisfeito com a falta de apoio, sentia existir, deitou pregão no Pelourinho , e na porta da casa da Câmara, proclamando.

"Pampilhosenses, é um patrício vosso que vos proclama certo dos vossos nobres sentimentos, um liberal, por convicção e pelo mais decido amor a Pátria, e a sagrada Constituição  que tão feliz  e sabiamente nos governa ".

O juiz da vila , Miguelista, membro da família Neves e Castro, seria mais tarde cunhado do Pároco Dom Manuel de Queixada,amigo do nosso trisavô alferes na reforma António Fernandes Cortez ; sentindo as costas quentes, desancou no liberal.

"   Sagrada, quem a sagraria ! As igrejas não, sabemos nós que não.Sagradas por Bispos, são as coisas da Religião, ou por ministros sagrados.

Quem a sagraria ? Ah sim foram os pedreiros livres mitrados nas furnas maçónicas pelo ritual instituído  por Satanás, ou pela corja da pedreiral "

Tudo isto e muito mais , originou clima de animosidade na população contra o liberal ; amargamente se queixava, em missiva enviada para a corte onde referia :

O povo do termo da Pampilhosa, é muito rústico e contumaz, e nele não há uma só pessoa que tenha espírito Constitucional, antes todos lhe tem ódio "

Quem escreveu chamava-se Custódio de Mello Castelão de Brito Brandão, natural de Góis,  morador  na Pampilhosa na casa onde residiram de seus avós , já falecidos, Capitão Custódio Homem Castelão de Brito Leitão, e Inês Josefa.

Esta morada corresponde actual residencia dos herdeiros de José Augusto Nunes Barata.

O juiz ordinário , isto é das causas simples,  não licenciado em leis ; Francisco Caetano das Neves e Castro, residente na Casa Branca, filho do antigo Sargento - Mor, Caetano das Neves, e Ana Barata, homem de grande fortuna, conseguida  em parte pelo cargo de recebedor das rendas do Cabido da Diocese da Guarda, resultantes das propriedades que o Bispado possuía na freguesia da Pampilhosa.

 Tão profunda seria a impressão causada por tudo isto no quotidiano dos habitantes da vila, estes para manifestarem publico apoio, faziam o gesto com o dedo da " asneira " como diria o meu neto,  afirmavam  animosidade contra o liberal dizendo :

" PÕE- TE AQUI QUE ÉS DE GÓIS ".

Ficou até hoje essa expressão, na Pampilhosa se aplica sempre que alguém quer dizer  não está de acordo nem se deixa levar em cantigas. A capa do livro verdadeiro " diário " da guerra, politica de 1821, no burgo.

capa.jpg