Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

22.Set.20

MEMÓRIA DO " LENDÁRIO " BARBEIRO DO CARVOEIRO

Júlio Cortez Fernandes

O nome do Sr. Alberto Magno de Oliveira o barbeiro residente na aldeia de Carvoeiro, freguesia de São Simão de Pessegueiro  no concelho de Pampilhosa da Serra, esteve presente em muitas conversas tive com meu querido inesquecível avô,materno Augusto Cortez.

Não conheci pessoalmente , aquele personagem porque tendo falecido em Lisboa , no Hospital Escolar de Santa Maria, a 5 de Junho de 1951; eu com quatro anos de idade, não,seria possível lembrar-me dele.

Segundo  meu avô, o barbeiro do Carvoeiro, era visita assídua na casa de Vale Covo, residência da nossa família no arrabalde da Vila de Pampilhosa. Da varanda da casa , era possível avistar a sobreira gigantesca que naquele tempo existia, perto da eira do Carvoeiro.

Quando eram necessários serviços de assistência daquele reputado,barbeiro, quando sabia que estava na aldeia lançava um foguete , sinal para solicitar a presença.Considerei, sempre, este método, coisa singular e fascinante.

Mais nosso avô afirmava,  Alberto Magno Oliveira era seu parente. Nunca  explicou a razão desse parentesco, mais tarde descobri.

Alberto Magno de Oliveira , tendo passado a história como sendo alguém do Carvoeiro, afinal, nasceu na vizinha aldeia do Coelhal, em 5 de Julho de 1883, curiosamente , ano de nascimento, do meu avô,por isso Alberto era " um rapaz do meu ano " como dizia.

Alberto era filho legitimo de Manuel de Almeida e Maria Joana,ambos do Coelhal.

Casou com Maria da Ascensão , natural do Carvoeiro,  filha de Manuel Antão, do Carvoeiro e de Margarida  de Jesus da Telhada. 

Margarida era irmã da minha bisavó Justina Rodrigues; assim tia do meu avô, deste modo Maria da Ascensão era prima direita do nosso avô Augusto, daí o parentesco,referido.

Facto importante Maria da Ascensão, nasceu no Carvoeiro, 10 de Maio de 1888, teve como  padrinho de baptismo, Francisco Antão,no estado de viuvez , na ocasião, barbeiro do Carvoeiro. Madrinha a filha de Francisco, Maria dos Prazeres.Faleceu a 17 Outubro de 1986,em Lisboa.

Francisco Antão, ferrenho miguelista exercia a profissão havia mais de cinquenta anos, talvez, tenha passado  ensinamentos da "arte" a Alberto, por haver casado com a afilhada. Quem sabe?

Mais uma memória deste personagem lendário , muito querido e estimado da gente serrana, pela sua competência e humanidade.Afinal ainda somos parentes , não muito afastados.

Deus o tenha na sua Glória 

P3143941.JPG

P3143936.JPG