Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

19.Jun.20

MEMÓRIA DE MOINHOS DE VENTO; NA MONTANHA DE PAMPILHOSA DA SERRA

Júlio Cortez Fernandes

Moinhos de rodízio de reminiscências romanas,conheci para aí uma dezena,tocados pela agua de ribeiras e barrocos,  maioria no arrabalde da Vila de Pampilhosa da Serra, ainda lembro dois moinhos desse tipo, no encantado  Vale Covo,onde passei momentos inesquecíveis.

Quando iniciei  deambular pelo concelho, deparei alguns mais, sempre movidos a força da água, e por isso,  chegado o Verão ,faltando precioso liquido, vários paravam, resultado da severa estiagem  nestas paragens.

A angustia,atormentava a gente das aldeias, obrigadas a calcorrear  quilómetros de maus caminhos, para moerem o milho, o centeio , mais raramente o trigo , para conseguirem farinha , necessária ao fabrico do pão nosso de cada dia.

Conscientes da necessidade das populações,um ou outro,  haviam emigrado, tentaram resolver problema recorrendo, a diferente tipo de moinho.

As serranias desta região, sempre foram " morada " de fogo e vento; vento forte quase perpetuo , actualmente, força motriz de geradores eólicos , que coroam linhas de cumeada, por aquelas serras além.

Surgiu a ideia de construirem moinhos de vento, nas aldeias onde no Estio  moinhos  ficavam mansos e quedos a mingua de água.

Confesso ,nunca ouvi referencia a existência de moinhos de vento, fiquei surpreendido, ao deparar noticias acerca de moinhos deste tipo.

O primeiro , moeu na aldeia de Soerinho, mais antiga, A-de-Soeirinho, ou ainda Dessoeirinho, pertencente a freguesia da sede do concelho.

O senhor António de Almeida, nascido na terra, na era de 1924, residindo em Lisboa,sofria com sacrifício dos  patrícios , necessitavam  deslocar-se ao Colmeal , no concelho de Góis; a Mata perto de Fajão, e outros locais para moerem o milho.

Para efeito mandou construir na povoação, moinho de vento "de fazer farinha " teria começado a laborar, em Setembro de 1924.

Pela mesma razão, António Alves de Pescanseco do Meio, resolveu instalar  moenda identica naquela aldeia, da mesma freguesia.

Não conheço local exacto onde se situavam .Vagamente ouvi falar certa ocasião,num sitio do "moinho de vento"  em Soeirinho.Alguém sabe algo acerca disto ? Gostaria saber. Mesmo assim,irei continuar buscando memória de moinhos das montanhas da nossa Terra; que  vento movia, e o vento levou .

P5185332.JPG

P5185333.JPG