Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

03.Ago.21

DESPOTISMO NA PAMPILHOSA NOS SECULOS XVIII E XIX

Júlio Cortez Fernandes

Tive ensejo de ler alguns textos fazendo crer que a Pampilhosa foi sempre terra de lei. Nada mais falacioso,ainda não há muitas decadas, concelho da Pampilhosa era assento certo de " praticantes " do quero posso e mando.

Durante o século XVIII, nestas paragens, abusos, prepotências e desprezo para com os mais pobres e desprotegidos,seriam pão nosso de cada dia.

homem2.JPG

Este documento, com data de 1769,e do qual vou citar pequenos execertos é exemplo disso, teor seguinte :

" Dizem os moradores e lavradores da vila de Pampilhosa e seu termo , comarca de Tomar, que Custódio Homem Castelão , capitão na dita vila, e outros pretendem cobrar foros; ou censos dos suplicantes,para o que usão de meios ilicitos, como abaixo se relata ".

Segue-se a enumeração de factos e provas, demonstrativas do clima de terror que se via então na nossa terra.Os suplicantes, seriam mais de quinhentos, conforme atestam as assinaturas apensas a petição...

Para ilustrar,fica um dos item da queixa  enviada a sua Majestade, Rainha Dona Maria I.

homem 1.JPG

Podemos ler "  Para que não servissem de juizes, senão quem ele quer ( o capitão ), e sempre  pessoas da sua facção, para lhe fazerem justiça a  sua vontade e atropelar aos suplicantes e a outros pobres miseráveis que muitos e muitas ainda orfãos e viuvas lhes tem tirado os bens , sem justa causa pondo-os   a pedir uma esmola , e  a peregrinar pelo Mundo.

E não contente com isto tomou o diabólico expediente de mandar pelos seus associados fazer esperas a alguns dos suplicantes para os matar ou intimidar e isto nos caminhos andavam a fim de requerem sua justiça,para ver se assim intimidados desistiam ou deixavam de  requerer para a sua vontade e mais a seu salvo, lhe impor o jugo de os fazer seus foreiros ou censuários; e nesta parte segue o exemplo de seus antepassados, principalmente do antecessor Vicente Caldeira ( de Brito ), que pelos mesmos ou mais violentos modos atropelou em toda a sua vida aquele termo.

E a tanto de tem se tem estendido o despotismo do suplicado e de seus antepassados.

O capitão Custódio e Vicente Caldeira de Brito, eram detentores do Morgadio da Quinta de Feteira; este ultimo , conhecido pelo CORVO, como já tratei anteriormente,  ambos truculentos, com mais mulheres que sultão otomano. Era tal a " farra " que as legitimas esposas os abandonaram  regressando a casa de familiares.

Terra de lei, é mais uma das muitas lendas propaladas acerca da Pampilhosa. Naquele tempo, seria sitio  seguro para todos  fora da lei; o Bispo da diocese mandou para a Vila um Padre, com família,constituida, que " aldrabou " a terra da naturalidade.  vivendo mais de três décadas sem problemas,de direito canónico, ou de outra índole, morrendo como sendo natural da Pampilhosa quando na verdade, havia nascido noutra localidade da Diocese da Guarda. Enfim como se dizia ao longo de muitos anos " COISAS DA PAMPILHOSA ".