Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

13.Abr.21

CAPELAS E ORAGOS DA FREGUESIA NO COMEÇO DO REGIME REPUBLICANO

Júlio Cortez Fernandes

Os primeiros tempos, logo seguir implantação da República, ocorrida a 5 Outubro 1910 ,  relações entre a Igreja Católica,e novo regime ficaram muito conflituosas; reflexo disso  levantamento  de todos os bens eclesiásticos, mandados, elaborar, pelo ministério da justiça e dos Cultos.

Abrangendo todo Pais, no concelho da Pampilhosa da  Serra. arrolamento demonstrou existência na freguesia da Vila,além da igreja Matriz da evocação de Nossa Senhora do Pranto; as seguintes capelas, abertas ao culto :

Aldeia Cimeira - São José,  Aldeia Fundeira - Nossa Senhora do Carmo, Carvalho-Santo André, Decabelos- Nossa Senhora da Lapa, Lobatos - Santa Ana, Lomba do Barco, Nossa Senhora do Resgate,Moninho - Santa Barbara, Pescanseco do Meio - São Bartolomeu, Póvoa - Santa Eufemia, Sobral de Baixo - Nossa Senhora da Nazaré, Sobral de Cima - Senhor da Serra,  Sobral Valado , São Lourenço, Soeirinho - São João, Vale Serrão - Nossa Senhora das Preces.

Na Vila da Pampilhosa, naquele tempo,existiam igualmente, capela da Misericórdia, capela de Santo António, Capela de São Jerónimo, Capela de São Sebastião. De propriedade privada; eram Capela de Sao Pedro Mártir na  denominada Casa Branca, pertença  de Joaquim Urbano das Neves e Castro, de Santa Rita, na Casa de Dona Natividade, viúva do Dr.Feiteira,

As capelas mais antigas, como  Sobral de Baixo , Moninho , foram demolidas por incúria. Todas restantes, salvo Aldeia Cimeira, nada tem de semelhante ao traçado inicial.

Mais tarde nas  aldeias  dos Covões, Sobral Magro, e Signo-Samo, edificaram capelas;  antiga cantilena manteve-se .

FRACA TERRA O GAVIÃO

NÃO TEM SINO NEM CAPELA

NEM  PADRE DIGA MISSA 

NEM  SACRISTÃO  AJUDE A ELA

Fotografia da sede de freguesia de Nossa Senhora do Pranto

abelpampioff.jpg