Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

21.Abr.20

BENEMÉRITO DA VILA

Júlio Cortez Fernandes

O cemitério paroquial da Vila de Pampilhosa da Serra,antigamente dispunha de único portão de acesso . Numa dos pilares que ladeiam, está inscrito  conjunto de caracteres, indicando as iniciais do benemérito,doador da construção.(A.M.M.N.)

Confesso sempre me intrigou,finalmente consegui decifrar, conjunto das letras gravadas na pedra.

A data da construção do cemitério 1863, para cumprir a lei que proibia enterramentos nas igrejas. O município, não dispunha  capacidade financeira. Não havia muitos locais na vila, com condições adequadas.

Os terrenos onde está o cemitério, faziam parte da quinta de São Martinho, naquela época, tinha limites na ribeira da Pampilhosa, e na montanha do Cabeço da Urra, ao cimo sitio do Vale Castanheiro.

O espaço seria oferecido , pela família,Melo Nápoles, senhores do Morgadio da Quinta da Feteira,  residentes, na vila na casa hoje pertença de herdeiros do Sr, José Augusto Barata.

Quem se empenhou para que o cemitério se construisse foi Sr. Padre António Maria da Cunha de Melo e Nápoles, pároco na Várzea de Góis,  irmão de Dona Maria da Natividade de Melo Figueiredo e Nápoles, referida neste espaço no post " Enterro da Fidalga ".

Além da ajuda para resolver, questão do terreno,Padre António Nápoles, ofereceu portão ainda existente e cantarias que servem de suporte.Sendo assim  conjunto tem 157 anos.

O reverendo padre faleceu em 15 de Outubro de 1891, na vila de Góis, teria 60 anos.

A câmara municipal da Pampilhosa ,na sessão de 6 de Fevereiro 1927, por proposta do Administrador do concelho,Sr. Manuel Antão Dias, aprovou  deliberação onde se propunha atribuir a  Rua do Pedregal, uma das principais da Vila,  nome daquele eclesiástico, em atenção, ao facto de   " ter sido sempre um homem empreendedor, e a ele se deverem alguns melhoramentos na vila"

Aquela deliberação aprovada em período  a seguir ao golpe militar de 28 Maio de 1926, demonstra os monárquicos da Pampilhosa , consideravam os ventos  eram favoráveis.

Estavam equivocados; a deliberação, não seria cumprida, porque os republicanos da terra, se opuseram.  

Aqui para nós ainda bem, está melhor, Rua do Pedregal, como sempre. Sr.  Padre tem  iniciais do nome gravadas no portal que doou, António Maria Melo Nápoles ; assim tudo está justo .Foto entrada cemitério da Vila, na actualidade

P2257290.JPG