Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

22.Mai.22

BAU DAS MEMÓRIAS - LOURIÇAL DA VILA

Júlio Cortez Fernandes

Avançar da idade,traz mazelas físicas,felizmente também recordações é mister não devemos deixar cair no olvido.

Existiram sítios,conhecidos e quotidianamente,referidos pela gente da vila ao longo de várias gerações, quase esquecidos e desejo aqui referir.

O coberto vegetal das barrocas, lombas e cabeços das montanhas que emolduram em todos os quadrantes o horizonte da vila da Pampilhosa da Serra, sofreu ao longo dos séculos,devastações,provocadas por fenómenos naturais  acção humana, levando ao desaparecimento de arvoredo cuja lembrança, quedou somente na toponímia: Carvalhal,souto, alqueve, sobral,sardeira,bacelo,castanheiro, etc.

Perto da vila na antiga vereda pedonal, chamada caminho de baixo,  utilizado pelos pampilhosenses quando se dirigiam para  fazendas situadas em de Vale Covo, e Foz das Videiras, após passar sitio do bacelo, deparávamos  inclinada encosta,apelidada  "lomba do louriçal".

Escrito assim,parece facto tem pouco intresse,no entanto,merece uma reflexão. O topónimo louriçal,encontra-mo-lo em diversas regiões do País,existindo no concelho de Pombal,distrito de Leiria a Vila do Louriçal,onde foi edificado famoso convento ainda lá se encontra.Louriçal provem da circunstancia nesses sítios crescerem loureiros,

Na Pampilhosa a lomba recebeu nome do louriçal, porque até final do século XIX, em grande parte a encosta do monte frio,estava coberta de loureiros que subiam da margem do Rio ou Unhais, ou Ribeira da Pampilhosa, até ao enfesto da lomba,

Com arroteias sucessivas os loureiros foram derrubados para plantar oliveiras, em  socalcos de terra, rodeados de pequenos muros de pedra solta,davam a paisagem  aspecto muito característico.

A abundância de loureiros,permitia que as espetadas para "assaduras" de carne de porco na altura da matança, fossem de louro,e não de outra madeira como mais tarde se passou a usar,

Do antigo louriçal da lomba, restam ainda alguns loureiros, na margem direita do Unhais,junto da levada regava a quinta dos silvas e as hortas da foz das videiras, abastecidas de agua por cales de zinco que atravessavam a ribeira suportadas por  arame metálico esticado a altura razoável sobre as aguas .

Imagem retirada do Google,mostra o rente de loureiros, ultima lembrança do louriçal da vila.

agokoi.jpg