Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

11.Mar.21

" ALFANDEGA " DA VILA

Júlio Cortez Fernandes

Os forais das Vilas, estipulavam as Camaras Municipais, podiam cobrar impostos sobre determinados, produtos vindos de fora da area do concelho.

Nas ultimas investigações continuo efectuando sobre os primórdios da história da Pampilhosa, deparei na toponímia, referencias interessantes para compreender actividade económica de então, e relacionamento comercial com territórios vizinhos.

Uma dessas " alfandegas ", também designada: porto onde faziam entrada de mercadorias vindas de Norte , nomeadamente de Arganil, Coja e Folques, o " PORTO DA VILA ", ficava no caminho, de Pampilhosa- Arganil.

Esta via, passava por Moninho, Soeirinho, Colada de Belide, Colmeal, Enfesto do Gato, Celavisa, depois Arganil,  trajecto após Moninho, seguia  curso da ribeira do mesmo nome.

Na margem da ribeira, num outeiro do cabeço dos Poios, ficava  local onde o Almotacé,  assim denominado o fiscal de impostos camarário, exercia função tributária.

As pessoas colocavam as mercadorias, sobre pequenos muros, baixos,poios, ou poiais, para  examinarem os produtos, quantidades, e aplicar, a poia, ou taxa devida. Dai o nome do cabeço; e também nomenclatura "poia" atribuida algo despendido como pagamento. Poial, é igualmente lugar onde se poisa alguma coisa.

Finalmente.  "Porto da Vila ", um porto seco, ficava algures, junto a Barroca da Agua Luz, e Fonte do Azereiro, meio caminho entre Soeirinho e Moninho.Provalmente no sitio assinalado no mapa....

poort.JPG