Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

07.Fev.21

ALDEIA DO DIVINO ESPIRITO SANTO

Júlio Cortez Fernandes

Talvez ao ler titulo algum leitor possa pensar  vamos escrever algo sobre as  belas e lendárias ilhas açorianas, onde culto do Espírito Santo, tem  tradição e acompanha ao longo da vida os naturais do arquipélago, estejam eles onde estejam.

Nada disso, a aldeia acerca da qual decidi dissertar, fica no concelho de Pampilhosa da Serra, freguesia de São Simão de Pessegueiro. Situada a uma altitude de seiscentos e cinquenta metros, encosta virada a sul, Malhadas da Serra,  donde se abarca panorama deslumbrante.

A evocação do Divino Espírito Santo,  única no concelho,  escolha de tal padroeiro, deve estar relacionada com a solidão do lugar; quanto maior é essa sensação mais as pessoas se aproximam do espiritual, afastando-se de tudo que é material,  buscando a paz .

O culto do Divino Espírito Santo, originou nas comunidades onde esta crença é dominante, forte sentimento de entreajuda e fraternidade.

Também aqui se verificou; um exemplo a escola primária da aldeia,  construida em 1930, unicamente a expensas do povo, sem qualquer ajuda estatal ou camarária.

A emigração não esmoreceu essa peculiaridade deste povo. A Comissão de Melhoramentos, foi uma das primeiras colectividades dessa índole fundada em Lisboa.

Com a introdução da cultura do milho no principio do século XIX, dada aptidão das parcas terras para a sua produção, permitiu, algumas famílias Malhadenses conseguissem, com  tempo algum desafogo económico, no entanto, nunca se quebrou a fraterna convivência  dos habitantes,

Visito com frequência as Malhadas da Serra, lembro sempre dona Aurora, nascida aqui , pessoa de quem guardo boas recordações, pelo carinho me dispensou quando era criança; esposa do senhor Hermano,  avó do Nelito, antigo presidente da Câmara, meu prezado amigo. 

A ultima ocasião estive, estacionei automóvel fora do povoado, caminhei ao longo da rua principal, apareceu uma moradora interpelou:  "Você não é daqui ? ". Respondi prontamente: " sou a senhora é  que não me conhece"....As Malhadas da Serra para mim são sortilégio.

malhasaserra.JPG