Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

aguadouro

aguadouro

19.Jul.19

NOSSA SENHORA DOS REMÉDIOS DA IGREJA MATRIZ

A igreja Matriz de Pampilhosa da Serra , da evocação de Nossa Senhora do Pranto,ardeu completamente num pavoroso incêndio, em 1907. Dessa tragédia salvaram-se os parcos pertences do antigo templo,de aspecto e recheio muito pobre.A única imagem  agora posso confirmar  se " salvou " a de Nossa Senhora dos Remédios, padroeira dos pobres e remediados. A venerando sacra estatutária, adorna ainda hoje um  altares do templo.

Conclui nas minhas pesquisas, Nossa senhora dos Remédios, tinha ou ainda tem, não sei, enxoval para sua vestimenta e " adoiaro ". 

"Um vestido e manto de seda, um par de brincos de ouro pequenos,cinco vestidos de seda, dois mantos, um colar de ouro com uma estrela também de ouro, brincos de ouro muito antigos, uma coroa de prata "; para o altar dois castiçais de prata e dois de madeira dourada .

Estes eram componentes do enxoval na altura do incêndio. Não conheço se tudo existe ou se perdeu sem " remédio ".  Mistério a descobrir, por quem souber... Foto  Nossa Senhora dos Remédios em seu altar...

P2257282.JPG

 

18.Jul.19

HORTAS DA VILA - " QUINTA DAS RELVAS --VELHAS "

O declínio demográfico e consequente desertificação , conduziram ao desaparecimento de importantes propriedades agrícolas, algumas de origem feudal,onde gerações de caseiros constituíram familia, e com trabalho árduo contribuíram para abastança dos donos da terra.

A cerca de três quilómetros do centro da Vila de Pampilhosa da Serra, existiu até aos anos setenta do século passado , opulenta Quinta das Relvas Velhas.Situada ao fundo da aldeia de Moradias,  pertença de importante família Cardoso oriunda da antiga vila de Fajão. O ultimo donatário  ainda conheci foi o Sr. Reis Campos, funcionário da Câmara Municipal, casado com Dona Lúcia, uma " menina das Malhadas da Ribeira " filha de Jaime Dias de Carvalho , ( Jaime das Malhadas ).

Aquilatar-se a importância desta " horta ", refiro  facto relevante nela teve lugar,no já distante ano de 1964, no inicio do mês de Outubro, realizou-se na igreja matriz de Pampilhosa da Serra, um casamento cujo noivo , natural da Vila  teve como padrinhos o casal Reis Campos e Lúcia Dias de Carvalho ; eram  donos da quinta, assim após o acto religioso foi servido " lauto almoço na quinta das Relvas Velhas , subúrbios desta vila"

Resta acrescentar a propriedade seria vendida ainda em vida dos proprietários a empresa de celulose que plantou toda a " herdade " com eucaliptos, antiga casa ainda existe e parece ser utilizada pelos novos " senhores ".

15.Jul.19

FACTO INÉDITO DA HISTÓRIA DA VILA

Numa das minhas investigações recentes, deparei com documentação inédita que permite afirmar, antes do incêndio de 1907 que a destruiu quase completamente  a igreja matriz da Vila de Pampilhosa da Serra, não dispunha de " adro ".

Vem a propósito actualmente o edifício e envolvente do templo , passam por algumas obras de conservação e restauro.Como sabemos a porta principal da matriz,guarnecida de avantajadas portas em madeira de castanho, tem a inscrição 1911.A entrada nobre da orada dá para amplo adro que apesar das " malfeitorias " sofridas ao longo dos anos ainda ostenta  solene e adequada " vista ".

A entrada da igreja anterior ao fogo, dava  directamente   Rua da Quinta, as dimensões do templo eram mais reduzidas que as actuais.

O terreno confinante existente entre estrada real nº 52 e igreja pertenceu a Francisco Luiz Nunes , havia sido comprado pelo Padre Vicente Dias de Carvalho prior da paróquia, para ampliar o passal .

Quando da reconstrução decidiu-se, o passal ficaria unicamente no outro lado da estrada;  a parcela adjacente a igreja seria destinada  dotar " Casa de Deus " de adro que não dispunha.Assim se cumpriu até hoje. A foto mostra o adro antes das obras em curso.

P5185361.JPG