Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

aguadouro

Pampilhosa da Serra - Roteiro dum "futrica"

15.Abr.21

CAPELAS E ORAGOS DA FREGUESIA DO CABRIL NO COMEÇO DO REGIME REPUBLICANO

Júlio Cortez Fernandes
A freguesia de São Domingos do Cabril,pertence desde fundação do Municipio, ao Concelho de Pampilhosa da Serra,situada em terreno alcantilado, pedregoso escarpado e hostil, coroado por imponente penedia,  dessa característica provém o topónimo. No período inicial do regime republicano,existiam na paroquia, além da igreja matriz, na sede da freguesia, encontravamos, capelas de Nossa Senhora das Dores, e de Santa Apolónia.No restante território,nesse tempo,foram referidas as (...)
13.Abr.21

CAPELAS E ORAGOS DA FREGUESIA NO COMEÇO DO REGIME REPUBLICANO

Júlio Cortez Fernandes
Os primeiros tempos, logo seguir implantação da República, ocorrida a 5 Outubro 1910 ,  relações entre a Igreja Católica,e novo regime ficaram muito conflituosas; reflexo disso  levantamento  de todos os bens eclesiásticos, mandados, elaborar, pelo ministério da justiça e dos Cultos. Abrangendo todo Pais, no concelho da Pampilhosa da  Serra. arrolamento demonstrou existência na freguesia da Vila,além da igreja Matriz da evocação de Nossa Senhora do Pranto; as (...)
01.Abr.21

LONGE DO COFRE E DO CELEIRO DA NAÇÃO

Júlio Cortez Fernandes
Está comprovada, a pouca simpatia do Professor  Oliveira Salazar,  e seu governo tiveram para com a Vila de Pampilhosa da Serra, e seu concelho. Salazar, não compareceu na inauguração da Barragem de Santa Luzia,maior obra de engenharia até então realizada em Portugal; proibiu também  ministro das Obras Publicas de assistir.Tomou partido pela da Camara de Arganil , contra a da Pampilhosa, na questão das casas dos Magistrados da Comarca, para cuja construção a edilidade (...)
31.Mar.21

NO COMEÇO ERAM GRANDES CARVALHAIS

Júlio Cortez Fernandes
O território do actual concelho de Pampilhosa da Serra, no alvor da nacionalidade portuguesa, estaria coberto por densas matas de carvalhos, sobreiros e castanheiros. Sobreiros e carvalhos, espécies arbóreas da mesma família,observando a toponímia local, verificamos existência diversas localidades e sítios denominados "sobrais", indicando abundância de árvores daquela espécie.Carvalho está frequentemente associado, ao sobro, também, deparamos na região  topónimos, (...)
23.Mar.21

SITIO DA FORCA

Júlio Cortez Fernandes
Calhou hoje lembrar pormenores, pouco conhecido da história da nossa terra. Sendo povoação antiga, infelizmente não existem muitos documentos possamos,referir para corroborar essa anscestrealdade. Dom João I, estando em Coimbra , decorria 1385,confirmou,anteriores prerrogativas da povoação ,outorgadas mas das quais não existiam provas. Mestre de Aviz, atribuiu, a Pampilhosa, "  todas ou uma coisa que pertencem a vila, isenta, e selo forca picota e cadeia como outro lugar, (...)
21.Mar.21

COSTUMES " ROMANTICOS "

Júlio Cortez Fernandes
Volta a Primavera, este ano, pouco importante , porque "inverno pandémico", não terminou ainda. Decadas passadas, na vila de Pampilhosa, estava ainda enraizado costume, frequente na presente estação do ano,transcorrido, tempo do rigor invernal , por estas bandas  bastante agreste.  No principio década de 1950, recordo ter presenciado acontecimento,na altura, francamente , dada a pouca idade pude compreender cabalmente. Quando as famílias de namorados, não viam com bons olhos, (...)
19.Mar.21

FESTA DE SÃO JOSÉ

Júlio Cortez Fernandes
Lembro meu pai quase todos dias, por isso, hoje além de evocar com  ternura a sua memória e com alguma mágoa, não posso recolher-me em silêncio, perante a última morada no cemitério da Pampilhosa onde guardamos seus restos mortais, desde modo, decidi assinalar acontecimento relativo a este dia. Ao tempo deveria ter seis anos de idade, e assisti com a avó Emília, à festa de São José na Aldeia Cimeira, terra da sua naturalidade. O avô Augusto, ficou em Vale Covo porque era (...)
15.Mar.21

MARAVILHAS NATURAIS DA RIBEIRA DA PAMPILHOSA.

Júlio Cortez Fernandes
Continuando desfiar lembranças,volto ao tema das peculiaridades ainda conheci na ribeira,afluente do Zêzere e atravessa o concelho de Pampilhosa da Serra desde as alturas da aldeia de Meãs, até desembocar no rio tributário no termo de Nossa Senhora da Boa Memória dos Padrões. A construção das Barragens, do Castelo de Bode, Bouçã, e Cabril,sem dúvida, uteis e necessárias ao progresso do País, não respeitou vertente ambiental; em nenhuma delas se considerou eclusa para (...)
11.Mar.21

" ALFANDEGA " DA VILA

Júlio Cortez Fernandes
Os forais das Vilas, estipulavam as Camaras Municipais, podiam cobrar impostos sobre determinados, produtos vindos de fora da area do concelho. Nas ultimas investigações continuo efectuando sobre os primórdios da história da Pampilhosa, deparei na toponímia, referencias interessantes para compreender actividade económica de então, e relacionamento comercial com territórios vizinhos. Uma dessas " alfandegas ", também designada: porto onde faziam entrada de mercadorias vindas de (...)
07.Mar.21

CRÓNICA DA CONSTRUÇÂO DA PONTE DE ÁLVARO NO RIO ZÊZERE

Júlio Cortez Fernandes
  Quando no dia 27 Maio de 1984, Senhor Presidente da República, General  António Ramalho Eanes, visitou oficialmente a obra ; já havia sido aberta ao tráfego a 27 Agosto ano anterior; nos discursos, de circunstancia. então proferidos, o trabalho, de grupo de naturais da região,haviam fundado em 1975 a denominada Comissão Pró Ponte de Álvaro, seria elogiado,ficando no ar, seriam autores da  ideia. A verdade histórica é outra. No longínquo 1932, no Jornal " O HERALDO " (...)